terça-feira, 28 de setembro de 2010

Gala-Dali

"Dali conheceu Gala, sua mulher, em 1928, numa festa do grupo surrealista. Ela era a mulher do poeta Paul Éluard. A devoção com que tratava a mulher despertou a ira de muitos críticos. Dali relata que Gala o seguia por toda a parte, o defendia e o protegia. “Custava-se a crer que , no meu próprio atelier, estivesse uma ...verdadeira mulher com seios, pêlos e gengivas”.. Quando ele casa com Gala, declara “somos agora dois seres arcangélicos... Gala e eu somos filhos de Júpiter... Para Dali, ele e Gala encarnam o mito sublime dos Dióscuros, nascidos de um dos ovos divinos de Leda. São eles “Castor e Pólux, os gêmeos ... divinos” .
(E. M. Lessa, O mundo genial e psicótico de Salvador Dali - Amor e sua letras)




Gala é a estrutura que faltava na minha vida... trouxe-me ... a ordem que faltava na minha vida. Eu existia apenas num saco cheio de buracos, mole e delicado, sempre dependente de uma muleta. Ao juntar-me a Gala, encontrei a minha coluna vertebral e, ao fazer amor com ela ,renovei a minha pele. .. Ao assinar os meu...s quadros Gala-Dali, dei apenas um nome a uma verdade existencial, já que sem a meu gêmeo Gala, não existiria de modo algum.”
Diário de um Gênio escrito por Dali


2 comentários:

  1. Ao juntar-me a Gala, encontrei a minha coluna vertebral e, ao fazer amor com ela ,renovei a minha pele.
    Ai aiii, que declaração de amor linda!!!! beijocas Érica *-*

    ResponderExcluir